A Organização Internacional de Kitesurf divulgou os “Dez Mandamentos de Segurança para a Prática do Kitesurf em Público - Araruama Kite School

AKS - Araruama Kite School  - Mandamentos de Segurança!



Este útil documento inclui informações sobre o conhecimento dos sistemas de segurança, o uso do kite leash, sobrevoos, posição do leash na prancha, direito de passagem e mais.

“Nenhum kitesurfista deveria usar o kite antes de saber como andar com segurança. Todos os kiters, do iniciante ao profissional, deveriam saber pelo menos esta de regras de segurança trazidas a você pela IKO”, explica David Dorn, diretor de treinamento da IKO.

1. Sempre use um kite leash

O kite leash é o dispositivo de segurança primária. Mantém você conectado com a pipa e a pipa conectada a você. Quando você tiver seu kite conectado, você pode usá-lo como um dispositivo de flutuação e um bote salva-vidas (forma de voltar para a praia). É muito visível o que lhe permite ser visto de longe. Mesmo que você não consiga relançá-lo, você pode usar a pipa para fazer um auto-resgate e arrastá-lo para a praia. Isso vai lhe poupar de uma longa remada. Mas a função principal do leash é proteger as pessoas ao seu redor de serem atingidas por sua pipa solta. Quando você estiver velejando, lembre-se sempre que o leash existe apra a segurança de todos. Um leash bem instalado também ativa o sistema de segurança do kite e diminui sua potência. Mas, cuidado: Um leash em configuração de suicídio é praticamente um perigo a todos, incluindo o piloto.

2. Conheça seus sistemas de segurança

Você ficaria surpreso com quantas pessoas não sabem como usar seus sistemas de segurança. Não há desculpa para isso. Talvez você esteja alugando uma pipa, testando uma nova pipa ou emprestando de um amigo pela primeira vez. Mas, sempre que você estiver prestes a usar uma pipa, você deve conhecer os sistemas de segurança. Cada sistema é ligeiramente diferente. Embora haja algumas semelhanças entre a maioria dos sistemas, existem alguns sistemas que podem ser o oposto do que você está acostumado a usar.

Por exemplo, existem chicken loops que se soltam empurrando-os para longe, alguns puxando-os, enquanto outros liberam torcendo, e há até mesmo alguns sistemas onde os chicken loops são fixos e não se soltam. Em uma emergência, você deve ser capaz de liberar seu chicken loop instantaneamente e sem olhar. Então, se você não conhece bem o sistema que você está usando, você terá um grande problema. Isto se aplica a todas as partes do sistema de segurança. Kite loops também têm diferentes sistemas quick release, alguns de puxar, empurrar e alguns que você tem que puxar um pino especial.

3. Nunca vôe sobre os banhistas

Isso parece óbvio, mas em qualquer praia lotada de kites, você vai ver as pessoas quebrando esta regra todo dia. O motivo para você nunca quer fazer isso é porque você está colocando em risco as pessoas abaixo do kite. A pipa de repente pode acelerar e poderia bater, cortar, cortar, arrastar, soltar, ou derrubar qualquer pessoa dentro do raio de ação da pipa. Isto pode acontecer a qualquer um. Mesmo kiteboarders mais experientes não tem 100% de controle da sua pipa 100% do tempo. O vento pode de repente dar rajada, parar, ou algum outro fator como uma quebra de linha pode causar uma perda momentânea de controle, e a pipa pode ferir alguém. Mesmo kitesurfers experientes devem ser extremamente cuidadosos quando debaixo de uma pipa.

4. Nunca use o leash de prancha

Muitos kiters “das antigas” têm histórias sobre kitesurf nos velhos tempos e muitos têm um conto triste com leash de prancha. O leash de prancha é para o surf e não para o kitesurfe. Houveram centenas de acidentes que o leash de prancha causou e algumas fatalidades também. Lesão grave pode acontecer com a pranch agindo como um estilingue e acertar sua cabeça e rosto. Além disso, o leash pode se enrolar na barra ou nas linhas causando outros problemas.

O alto índice de acidentes causados pelo board leash fez com que a maioria das kiteschools proibisse o uso delas há muito tempo atrás. No entanto, algumas pessoas ainda pensam que podem escapar usando uma. Mas, a nossa experiência duramente conquistada nos ensinou que não há forma segura de usar um board leash e não há nenhum tipo de board leash que seja seguro também. Simplesmente, não use um. Em vez disso, aprender a velejar melhor para que você não precise usar um. Se você é um novato tente usar um dispositivo “Go-jo”. Eles tem uma aparência um pouco engraçada, mas funcionam muito bem. Se você ainda está tentado a usar board leash mesmo depois de ler isso, então busque no Google por “kite board leash injuries” e veja o que surge.

5. Não saltar sobre obstáculos

O que sobe tem que descer. Lembre-se que qualquer coisa que você sobrevoar pode se tornar seu local de aterrissagem. E, você sempre pode pousar em sua cabeça. Kite é melhor quando feito sobre a água, porque isso te dá uma forma de colisão suave. Sobre a água, você pode tentar coisas e saber que você vai cair em algo macio. Em comparação, apenas tente aterrissar em uma pilha de pedras, um quebra-mar, ou uma árvore. Estes não perdoam. Kite é um jogo de números. Mais cedo ou mais tarde você irá se acidentar. Os riscos que você corre irão eventualmente te alcançar. Você vai acabar pousando nas coisas que você salta. É apenas uma questão de tempo.

Há muitos exemplos de kiteboarders profissionais fazendo saltos loucos sobre coisas, mas há também uma série de exemplos deles se machucando feio. Você deve pesar os riscos contra a recompensa, e pergunte-se se realmente vale toda a dor e tempo fora da água para bancar uma de machão. IMHO pular por cima de coisas é meio idiota. Por que não fazer um truque realmente técnico ou um salto muito grande ao invés? Além disso, se você ficar seriamente ferido ou morrer tentando saltar coisas, você provavelmente ainda terá seu pico interditado no processo.

6. Olhe antes de saltar

Olhar antes de saltar é vital para kitesurfers, porque quando você salta, você pode viajar grandes distâncias e permanecer no ar por um longo tempo. O tráfego na área de pouso pode mudar do momento que voce decolar até o momento do pouso. Você deve sempre olhar em todas as direções antes de saltar, porque alguém pode já estar no ar ou prestes a saltar atrás de você.

Além disso, tente olhar para os padrões de tráfego e pensar sobre onde as pessoas estarão enquanto você estiver no ar. Talvez eles não o vejam você decolar e ir para a área de aterrissagem prevista. Em geral, recomendamos que você deve ter no mínimo 30 a 50 metros de área livre antes de saltar. Mas muitos kiters saltam mais longe do que isso, então estes precisarão de mais espaço para se mover.

Quando o vento fica mais forte as pessoas velejam a velocidades elevadas e geralmente têm menos controle. Então, com ventos fortes você vai precisar de mais espaço em torno de você. Sempre olhe em todas as direções antes de saltar, e se a área não estiver livre, então espere o momento certo para saltar.

7. Mantenha uma margem de segurança

A margem de segurança é o que você cria para manter alguma distância entre você e algo perigoso. A margem de segurança envolve tanto a distância quanto o tempo. Quando você está se movendo mais rápido que você tem que manter uma margem de segurança maior. Você deve criar uma margem de segurança sempre que você ver algo que você não quer bater. Ao criar a sua margem de segurança, você também deve considerar o quão longe sua pipa chega à sua frente e manter em mente que a sua margem de segurança começa em seu kite e que se estende para além dele.

Uma margem de segurança entre duas pipas (ou dois kiters) é muito maior. Se você tem linhas de 25m e o outro kiter também tem linhas de 25m, você precisa de um mínimo de 50m entre si para garantir que as pipas não se toquem, mas que ainda não permite qualquer separação entre as pipas. A margem de segurança é a área extra / distância entre os pontos de possível contato mais próximos possíveis. Instrutores de kite recomendam uma margem de segurança de dois a três comprimentos de linha de distância de um obstáculo. Mas, em ventos fortes a margem deve ser aumentada. Algumas vezes, a margem de ve ser de cinco comprimentos de linha e sob condições extremas até 10 comprimentos de linha (10 comprimentos de linha = 250m).

8. Evite o mau tempo

Uma coisa é certa no kitesurf. Você não pode controlar o tempo. Mas, o que você pode fazer é saber reconhecer o mau tempo e tentar antecipá-lo, usando os serviços de previsão meteorológica. Os serviços meteorológicos não servem apenas para encontrar bons ventos. Eles também são úteis para ajudar você a evitar o mau tempo. Diferentes condições climáticas criam más condições de tempo, mas as tempestades são os fenômenos meteorológicos mais comuns e facilmente evitados.

Se você chegar à praia e estiver chovendo ou nublado, há uma tempestade; venta extremamente, ou você vê nuvens pesadas se aproximando, não entre no mar. Enfim, você já devia saber que havia mau tempo, porque todo bom kitesurfer verifica o tempo antes de ir para a praia. Mas, às vezes, o tempo muda rapidamente e você terá que manter seus olhos no céu para sinais indicadores de mudança. Nuvens são bons indicadores de mudanças climáticas e rápidas quedas de temperatura ou mudanças repentinas de direção do vento. E, se você ouvir trovões, saia de lá rápido.

Muitos acidentes graves no kitesurf são atribuídos ao mau tempo. Mas, você não pode sempre culpar o clima. A culpa real é a do kitesurfista que é o responsável por decidir sair em condições de mau tempo. Quando você está velejando em um novo local, é sempre uma boa idéia perguntar aos moradores se há algum sinal especial de aproximação de mau tempo.

9. Conheça as Regras do Direito de Passagem (ROW)

As regras do direito de passagem são uma forma de reduzir os acidentes na água, porque todos kitesurfers precisam saber como reagir quando entram em algum tráfego. A primeira regra é simples: “Evite acidentes a todo custo!” Isso significa não bater em ninguém. Infelizmente, kiters iniciantes geralmente não sabem as regras e são altamente focados em olhar apenas para suas pipas. Então, eles geralmente não estão conscientes do que acontece ao seu redor. A próxima regra deveria ser “Evite iniciantes a todo custo!”.

Uma vez que qualquer praticante se vê além do básico e começa a misturar-se com a população de kiters, eles também devem conhecer as regras básicas do Direito de Passagem. Existem as regras básicas de velejo que também se aplicam para o kitesurf: “porto dá a vez para estibordo”, “upwind dá a vez para downwind”, e etc. Existem algumas regras específicas do kite, bem como “o kiter upwind mantém seu kite alto quando passar por outro.” Há muitos bons websites que explicam as regras. Alguns também explicam as regras para kitewavekite nas ondas, e também sobre a prática do kite com outros tipos de embarcação. Nós temos que aprender a compartilhar a água com os outros e como compartilhar o espaço com os outros usuários da água também. E, acima de tudo, conhecer as regras do direito de passagem para ajudar a evitar acidentes.

10. Só veleje distâncias que você pode nadar de volta

Outra maneira de colocar isso é “sempre saiba seus limites.” Por não velejarmos mais longe da costa do que se pode nadar, colocamos em perspectiva que não importa o quão bom de kitesurf nós somos; somos apenas um nadador quando perdemos a pipa. Pipas podem escapar de nós ou quebrarem e se tornarem inúteis. Eventualmente, todo kiteboarder terá que nadar de volta à praia. Pense sobre isso antes de ir velejar longe da praia ou viajar longas distâncias. A qualquer momento você pode perder a pipa e aí você terá que nadar.

Além disso, pense sobre: o tempo que leva para nadar, e se houverem marés ou correntes, ou talvez você vai nadar de volta depois do pôr do sol e ninguém vai te ver, e se você estiver ferido e não puder nadar, e se estiver realmente frio e você começa a ter hipotermia? Então, a mensagem real é saber seus limites e pensar sobre sua vulnerabilidade. Você pode normalmente ter uma grande sessão e ficar relativamente seguro gerenciando os riscos, pensando sobre os problemas antes que eles ocorram e ficando perto da costa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Escola de Kitesurf Araruama, Rio de Janeiro, Buzios e Cabo Frio

Como fazer um velejo de Kite noturno